25 de setembro de 2017

"RAPIDINHA" sobre os efeitos da revelia no novo CPC

Caro estudante, você sabia que mesmo não sendo revel, poderia, O RÉU, sofrer os efeitos da revelia e o contrário também é verdadeiro?  Ou seja, mesmo deixando de contestar não sofreria a revelia?

O artigo 344, do Novo Código de Processo Civil (NCPC) é o responsável por "conceituar, tecnicamente', revelia:


Art. 344. Se o réu não contestar a ação, será considerado revel e presumir-se-ão verdadeiras as alegações de fato formuladas pelo autor. ("O NÃO CONTESTAR" = REVELIA).

Nós entendemos, o apresentado, como 'réu rebelde'; àquele que mesmo tendo conhecimento de uma ação contra si prefere não se defender, não se manifestar nos autos, isso não quer dizer que o mencionado sobre ele na inicial seja verídico (presume-se).

imagem pixabay - Escrevendo - Diario de conteudo juridico 

Efeitos da Revelia:

1 - MATERIAL - presunção de veracidade dos fatos afirmados pelo autor (só fatos - Direito não se presume), mesmo assim é uma presunção relativa, pode ser elidida (iuris tantum); uma prova documental pode ser acolhida pelo juiz e 'derrubar o fato apresentado';

2 PROCESSUAL - o revel deixará de ser intimado dos atos processuais se não tiver Advogado constituído, mas se tiver será intimado por meio dele.

Há um artigo anterior que fala sobre a revelia e, mesmo não fazendo parte do capítulo, é de fundamental importância ligá-los para um melhor entendimento do instituto, aqui estudado.

Atentem:
Art. 341. Incumbe também ao réu manifestar-se precisamente sobre as alegações de fato constantes da petição inicial, presumindo-se verdadeiras as não impugnadas, salvo se: 
I – não for admissível, a seu respeito, a confissão; 
II – a petição inicial não estiver acompanhada de instrumento que a lei considerar da substância do ato; 
III – estiverem em contradição com a defesa, considerada em seu conjunto. 
Parágrafo único. O ônus da impugnação especificada dos fatos não se aplica ao defensor público, ao advogado dativo e ao curador especial (O Advogado, patrono do réu, deve fazer defesa específica ou será revel no que não contestar).
Somente as pessoas apresentadas no Parágrafo único, do artigo citado, poderão apresentar defesa genérica; o réu terá que contestar item por item (com exceção dos incisos do 341 (acima) e do 345 do NCPC).

Vejam o que prescreve o artigo 345 NCPC: 

Art. 345. A revelia não produz o efeito mencionado no art. 344 se: 
I – havendo pluralidade de réus, algum deles contestar a ação (em litisconsórcio - um recorrendo aos outros APROVEITA)
II – o litígio versar sobre direitos indisponíveis; (vida, saúde, honra, etc),
III – a petição inicial não estiver acompanhada de instrumento que a lei considere indispensável à prova do ato (documento público, como Certidão de óbito, por exemplo)
IV – as alegações de fato formuladas pelo autor forem inverossímeis ou estiverem em contradição com prova constante dos autos (impugnando paternidade, impugnada estaria os alimentos).

E, guardadas as devidas proporções, para finalizar, apresentamos este adendo: o último artigo, do capítulo VIII (da Revelia); importante conhecer - assim, entenderá onde (RE)começar e terminar a defesa de um cliente que já foi revel.
Art. 346. Os prazos contra o revel que não tenha patrono nos autos fluirão da data de publicação do ato decisório no órgão oficial.(como podem ver, mesmo revel, se tiver patrono nos autos seguirá, por meio desse, sendo intimado dos atos processuais);
Parágrafo único. O revel poderá intervir no processo em qualquer fase, recebendo-o no estado em que se encontrar. 

Por Elane F. de Souza (Advogada, Autora e Administradora deste e outros Blogs) 






20 de setembro de 2017

Para que serve um SCORE e Cadastro Positivo no SERASA?

- Quem não gostaria de ter um cadastro permanentemente positivo no SERASA? 

Acreditamos que a maioria pois, um cadastro positivo só traz benefícios para quem possui.

Você sabia que hoje, a maioria dos bancos, empresas e lojas do país vem se utilizando do SCORE, fornecido pelo SERASA, para dar crédito as pessoas?

Pois é; por isso e, evidentemente também pela honradez que cada um de nós "deveria" ter, que é sempre bom apresentar o nome limpo perante a sociedade - para mim, em particular, não há nada satisfaça mais que ver meu nome limpo!

Sem brincadeira...., chega a ser orgásmico😂😂😂😂😂😂😂😂😁😁😁😁😁 saber que estou LIMPA - sem nenhuma dívida, e sem nunca ter tido o nome negativado! 

FANTÁSTICO!!!!

Na página oficial do SERASA há um link direito para a consulta "SERASA SCORE"clicando nele poderá acompanhar sua classificação que vai de 0 a 1000 pontos (antes precisa se cadastrar).  Quanto mais o escore se aproximar de mil, mais certeza terão de que você não é um "caloteiro" (digo, um mal pagador)...., chegando a mil, é quase certo que "nunca" deixaria de pagar suas contas; nesse caso, será mais fácil obter benefícios no mundo financeiro (empréstimos, compra de carro, de imóvel, de móveis e eletro, etc).

Por CNJ - CURRÍCULO FINANCEIRO
Entendam, mesmo no SERASA, nenhuma pontuação é definitiva. Você pode acompanhar e melhorar a sua. Não perder e/ou não deixar que seu CPF caia em mãos erradas é o mais importante pois, é ele que será o responsável pela sua posição, POSITIVA ou NEGATIVA.

Além disso, você poderá melhor o seu SCORE sempre - dicas: pague suas contas em dia e limpe o nome se ele, por acaso, já estiver negativado - preencher o perfil com fotos e documentos também ajuda um "pouquinho" (mostra ao SERASA quem você é de verdade, evitando fraudes) - para eles, esta última dica é o preenchimento de um cadastro positivo (consiste na "entrega" de dados para ser analisados).
video


Por Elane F. de Souza (Adm. e Editora deste e de outros blogs) 
Imagem.créditos: CNJ no facebook
Vídeo.créditos: SERASA

Artigos de Direito do Consumidor em outros Blogs:



8 de setembro de 2017

TCC, TESE, MONOGRAFIA,TRABALHO CIENTÍFICO; o nome não importa, uma boa elaboração SIM!

Não sei os estudantes de hoje, mas na minha época, quando era chamada, exclusivamente de MONOGRAFIA, ela era o pavor da maioria.

Escolher tema e orientador, escrevê-la com esmero, dedicação e muito cuidado, respeitar sempre as normas ABNT e, o mais IMPORTANTE: não cometer plágio!
Escrever TCC

Não nos esquecendo, como é óbvio, da defesa da tese ou apresentação oral após a entrega - essa então, deixa muito aluno sem dormir na véspera e com gastrite nos dias anteriores (experiência própria)!😁😁😁😂😂😂😂😭😭😖😰


Quanto à elaboração, como é de se imaginar, a maioria dos assuntos já foram escritos; por isso, fica complicado para o estudante, inexperiente no assunto ("escrita de livro") dissertar, de forma inédita, sobre algo que já foi discorrido centenas de vezes por outros alunos e, SEM SOMBRA DE DÚVIDAS, por autores de renome. 

Fazer "cópias" parciais e até integrais era, e segue sendo possível, exatamente, pela falta de conteúdo original no mercado; mesmo assim, é INACEITÁVEL!  Orientadores sérios, que realmente revisam o conteúdo do Orientado não aceitam, de forma nenhuma, esse tipo de prática!

Algumas dicas de temas:

Ebook POLIAMORISMO
Poliamorismo
Estelionato religioso
Feminicídio
Lei Maria da Penha para pessoas que mudaram de sexo
Discriminação ou Preconceito Religioso
Ateofobia


AQUI, duas dicas de cursos e técnicas de elaboração de conteúdo



Por Elane F. de Souza (Advogada, Autora e Adminstradora - DESTE e de outros Blogs).

22 de julho de 2017

CASAMENTO: meio contratual de ratificar o amor que às vezes funciona

Curiosidades sobre o casamento

- Ahhh  o amor, como é lindo!  No  entanto, para a maioria dos casais o mais lindo e gratificante é o dia do SIM, o dia em que é ratificado, definitivamente, esse “amor” por meio de um “contrato de casamento”.  Parece meio frio tratar o casamento dessa forma, mas foi assim, como um contrato, para fins de enriquecimento, que tudo começou.

A celebração do casamento surgiu na Roma Antiga.  Durante muito tempo, as pessoas se casavam para ganhar um dote, um meio honrado de enriquecimento, e para ter filhos legítimos que perpetuariam o nome do pai.

Casamento - trocando alianças
No início não era obrigatório ter a bênção de um sacerdote. Este costume só foi oficializado depois do Concílio de Trento, no século XVI.  Já, o casamento civil só surgiu bem depois, em 1650, na Inglaterra.

Para bem da verdade, não era o amor entre as partes que reinava nesse contrato; era, apenas, uma forma de unir as  duas famílias envolvidas.

- E o beijo?

- Porque essa tradição do beijo quando termina a cerimônia? 

Essa é outra particularidade que significa, única e exclusivamente, que o pacto entre as partes foi celebrado com sucesso.  É como um celo de autenticidade diante de todos.  Já a tradição da troca de anéis de casamento vêm do Egito antigo.

-  Nossa, que história mais fria, não?  Pensei que ia ouvir algo como acontece nos contos de fada onde as pessoas se casam por amor e são felizes para sempre!

-  Todavia não se deseperem!  Com o passar dos séculos e dependendo da nação o casamento foi passando a ser celebrado por amor, pelo desejo único dos pares (homem e mulher).

Iniciaremos este artigo pela parte mais bonita, somente após passaremos a parte legal.

Algumas dicas de como fazer que seu matrimônio dure, não que seja etermo, afinal, como disse Vinícius de Morais no Soneto da Felicidade: …”Mas que seja infinito enquanto dure”.

Ouço muita gente dizer:  - “Meu casamento não deu certo”!

Então pergunto: “quanto tempo viveram  juntos?”

- “Estivemos 15 anos casados e temos dois filhos”. ( só um exemplo).
Não entendo, como assim não deu certo se passaram 15 longos anos juntos e ainda por cima tem 2 filhos?  Mas é claro que deu certo!  Não dar certo é casar-se hoje e divorciar-se amahã, sem ter criado nenhum outro vínculo.

Aceitar que alguém deixou de nos amar é o primeiro passo para a felicidade.  

Partilhamos do entendimento que ninguém é de ninguém!  Honrar, respeitar e amar o (a) parceira faz parte enquanto estiverem juntos e tudo estiver a  funcionar. 

Quando um dos dois não quiser mais, viver feliz, ou encontrar outra pessoa que ame, o mais correto é se separar de vez, respeitando o “cantrato” anterior que pactuou. 

- Triste?  Pode ser!  Mas não é o fim do mundo para ninguém…, deixe a “fila andar” e faça com que a sua também ande.  A vida segue!

27 coisas importantes (A SABER) sobre o casamento

1º -  Conheça bem o futuro companheiro(a) de vida; de preferência torne-se grandes amigos antes de dar esse passo sério.  Pesquisas comprovam que casais que passaram longos anos de namoro e são amigos tem mais probabilidades de dar certo e serem felizes (estudo do National Bureau of Economic Research); 

2º -  A fase de lua de mel, marcada por um elevado nível de paixão e intenso sentimento de atração para o parceiro dura, apenas, cerca de um ano  (pesquisa Universidade da Pensilvânia 2014); portanto não se desespere quando o “fogo” passar – se for “chutar o pau da barraca” por isso, todo ano terá novo companheiro (pense nisso);

3º - Compartilhar boas notícias com o parceiro melhora a confiança no relacionamento;

4º - Uma pesquisa com 3 mil recém-casados e casais recém-divorciados revelou que os parceiros são mais propensos a se divorciarem se tiverem uma diferença de idade grande entre eles;

5º -  De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles, mais de 60% dos adultos disseram que a divisão de tarefas desempenha um papel crucial em ter um casamento bem-sucedido;

6º - Cerca de 75% das pessoas que se casam sem se conhecer bem acabam por se divorciar;

7º - Um estudo realizado em 2008 descobriu que os casais experimentam maior satisfação conjugal quando as crianças saem de casa, (ou seja, vão ter que se “suportar” durante muitos anos para encontrar a felicidade – pelo menos 18 quando os “bebês” forem maiores);

8º - Casais tendem a ter cinturas mais gordas. As chances de um parceiro se tornar obeso aumenta em 37% se o cônjuge também estiver acima do peso (Ahh, isso sim é verdade);

9º - Casais que não vivem juntos antes do casamento se entusiasmam mais antes de compartilhar o mesmo espaço e são menos propensos ao divórcio nos primeiros 10-15 anos;

10º -  De acordo com um relatório de dissertação da geógrafa social Erika Sandow da Universidade de Umeå, na Suécia, verificou-se que as chances de divórcio aumentaram 40% para aqueles que passam mais tempo indo ou voltando do trabalho;

11º - Os casais que estão juntos há mais de 40 anos são mais felizes do que os recém-casados (paciência e tolerância esses são os segredos, rsrs);

12º - Um estudo realizado no Reino Unido, diz que os casais pensam que ser casado é mais importante para a felicidade do que o dinheiro e possuir uma casa  (que lindo!!!);

13º - Os casais que ficaram juntos nos primeiros sete anos de casamento são mais propensos a ter uma união longa e duradoura (é, parece que a famosa “crise dos sete” não é uma lenda);

14º - Casais que gastam mais dinheiro nos seus casamentos têm maiores taxas de divórcio (disso, entendo bem);

15º - Casais com filhos têm menos probabilidade de se divorciar do que casais sem filhos (muita mulher sabe disso e se utiliza da “tática”);

16º - Os efeitos negativos de não ter relações sexuais são muito mais graves na vida conjugal do que os efeitos positivos do bom sexo (sério?);

17º - Durante a maior parte da história o casamento foi visto como uma maneira de formar novas relações, como sogros (já hoje seria o contrário – infelizmente não é possível);

18º - Os casais poupam quatro vezes mais dinheiro em comparação com solteiros (claro – as baladas, os jantares fora, os barzinhos, o cinema – tudo acaba);

19º - O custo de um casamento, em média, é quase tão caro quanto o custo de um divórcio (sigam casados galera).


As outras 8 coisas importantes a saber são as legais e se resumem em uma: Pacto antenupcial

01 - O que é a convenção (pacto) antenupcial?

Pacto antenupcial (ou convenção antenupcial) é o  Contrato Solene realizado antes do casamento, por meio do qual as partes dispõem sobre o  regime de bens que vigorará entre elas durante o matrimônio. As convenções antenupciais constituem  negócio jurídico condicional, pois sua eficácia  fica condicionada à ocorrência de casamento. Com efeito, o casamento, no caso, opera como  condição suspensiva, pois enquanto aquele não ocorrer, o pacto antenupcial não entra em vigor.


02 - Em quais casos será necessária a lavratura e registro do pacto antenupcial e quais não?

1) Regime da Comunhão Parcial de bens (NÃO)
Para casamentos celebrados nesse regime, até 26/12/1977 era necessária a lavratura e o registro do pacto.
A partir de 27/12/1977, ele passa ser o regime legal de bens, ficando, assim, dispensada a lavratura e registro do pacto.

2) Regime da Comunhão Universal de bens
Para casamentos celebrados nesSe regime, até 26/12/1977, ficava dispensada a lavratura e registro do pacto, pois, até a REFERIDA data, ele era o regime legal de bens.
A partir de 27/12/1977, passa a ser convencional, sendo necessária a lavratura e o registro do pacto antenupcial.

3) Regime da Separação Universal de Bens (convencional)
Sempre será exigida a lavratura e o registro de pacto

4) Regime de Participação Final nos Aquestos (convencional)
Sempre será exigida a lavratura e o registro de pacto

5) Regime de Separação Obrigatória de Bens (legal)
Nunca será exigida a lavratura e o registro de pacto
Pois o Código Civil já estalece:
Art.. 1.641. É obrigatório o regime da separação de bens no casamento:

I - das pessoas que o contraírem com inobservância das causas suspensivas da celebração do casamento;
II - da pessoa maior de 70 (setenta) anos;
III - de todos os que dependerem, para casar, de suprimento judicial.

03 - Por que o pacto antenupcial precisa ser registrado no Cartório de Registro de Imóveis?
Está previsto no art. 1657 do Código Civil de 2002 que o pacto antenupcial somente terá efeito perante terceiros depois de registrado no Cartório de Registro de Imóveis.

04 - Por que o pacto antenupcial deve ser feito através de escritura pública, lavrada no Tabelionato de Notas?
Está previsto no art. 1653 do Código Civil de 2002 que será nulo o pacto que não for feito por escritura pública.

05 - Quais os documentos que preciso apresentar para registrar o pacto no cartório?
1 – Requerimento assinado por um dos cônjuges, com firma reconhecida;
2 – Escritura de pacto antenupcial original ou certidão da escritura emitida pelo Tabelião de Notas onde tenha sido lavrada;
3 – Certidão de casamento original e atualizada (emitida há menos de 90 dias).

06 - O pacto precisa ser registrado em todos os cartórios onde eu tenha imóveis?
O pacto será registrado no Ofício de Registro de Imóveis uma única vez. Porém, este registro deverá ser indicado, através de averbação, em todas as matrículas dos imóveis que o casal adquirir. Por exemplo: O casal registrou o seu pacto no 2º Ofício de Registro de Imóveis de Recife e, agora, adquiriu um imóvel registrado no 1º Ofício de Belo Horizonte. Neste caso, não será necessário um novo registro, bastará que o casal apresente uma certidão de registro do pacto, emitida pelo cartório de Recife.

07 - Não fiz o Pacto Antenupcial, mas optei por um regime diverso da comunhão parcial de bens. É possível fazer o pacto após o casamento?
Não havendo convenção (pacto), ou sendo ela nula ou ineficaz, vigorará, quanto aos bens entre os cônjuges, o regime da comunhão parcial. Portanto, não é possível a lavratura do pacto após o casamento.

08 - É possível a alteração do regime de bens adotado no casamento?
Sim, é admissível alteração do regime de bens, mediante autorização judicial em pedido motivado de ambos os cônjuges, apurada a procedência das razões invocadas e ressalvados os direitos de terceiros.


Autoria com fontes, abaixo: Elane F. de Souza OAB/CE 27.340-B


http://www.1ribh.com.br/conteudo/37   (1º Ofício de Registro de Imóvies BH)

Foto/Créditos:



26 de junho de 2017

Primeiros passos para advogar em Portugal e vice-versa

Já ouviram falar da reciprocidade que existe entre Brasil e Portugal?

Pois é, ela existe e todos nós (Brasileiros e Portugueses) podemos usufruir.  Seja fazendo concurso público, votando e sendo votado, trabalhando como Médico, Dentista e até Advogando.

Por mais que possa parecer estranho advogar em outro país, com leis e procedimentos distintos, é possível sim - todavia, há pormenores (e muitos) que devem ser esclarecidos.

Em abril de 2007 fui viver em Portugal, mais especificamente em Lisboa, por questões que agora não valem a pena ressaltar.

Na época, por já ser Advogada há mais ou menos 2 anos e meio decidi que iria fazer Mestrado. No entanto, primeiramente fui conhecer a Europa - alguns países que sonhava e naquele momento tinha oportunidade, por estar mais próxima e ficarem mais acessíveis em se tratando de valores.

Fiz isso durante algum tempo; conheci tudo que pude dentro de minhas possibilidades financeiras e fui feliz!  Além de adquirir cultura, conheci gente e lugares fantásticos!

Só em 2009, quando retornei para uma visita a familiares, é que me dei conta que deveria voltar a estudar e trabalhar na profissão que havia escolhido.

Antes de vir ao Brasil fui a duas Faculdades de Direito e a Ordem dos Advogados Portugueses buscar informações do que seria necessário para um Mestrado, e saber das possibilidades de trabalhar como Advogada naquele país.

Com os dados em mãos cheguei aqui e logo fui requerer a documentação para estudar em Lisboa e, COM MUITA FÉ, trabalhar!

Naquela época meu local de "residência" ainda era Cuiabá (cidade natal, local onde estudei, colei grau e estava inscrita).  No entanto, já tinha "residência", também, em Lisboa - requisito este, necessário para se inscrever na OAP de Lisboa (como é evidente - sem o qual não se pode trabalhar - a não ser que já trabalhe com um profissional da área e tenha o escritório deste como "domicílio"). 

Estando aqui no Brasil tive que ir à Brasília para pedir equivalência do meu Diploma (a Lusófona, Faculdade que ia fazer Mestrado, exigia a equivalência);  isso me custou alguns reais: viagem, estadia em Brasília, fotocópias (muitas) para entregar nas relações internacionais do Itamarati a fim de serem autenticadas e também ao Consulado Português no Distrito Federal.  

Quem vive no Centro Oeste e necessita de serviço Consular ou de Embaixada, quase sempre tem que se dirigir ao D.Federal (pelo menos era assim em MT e MS até 2009); no caso das Embaixadas sei que segue sendo assim!

Não citarei item por item do que é necessário; no entanto, deixarei aqui o link específico da OAP para que os interessados se valham dele.  CLIQUE AQUI

Além disso, deixarei algumas fotos de requisitos da época (2009) que pensava Advogar em Portugal.

Mas, por que desisti?

Faltou-me recursos financeiros para seguir no país e por questões, também familiares, voltei, definitivamente em 2011 - infelizmente, sem terminar o Mestrado (faltou entregar TCC).  

Quanto à Advocacia seria bastante interessante se pudesse seguir no país; todavia, teria que investir recursos financeiros para abrir escritório ou conseguir alguém com quem pudesse me associar (o que é bastante difícil - mas não seria impossível).  Pense o seguinte: quer queiramos quer não, existe um certo preconceito:  coloque-se no lugar de um Profissional Português. Preferia você, associar-se a um colega do seu país ou a um colega Brasileiro que não tivesse nada a oferecer?   Esse era o meu caso. Não tinha nada a oferecer. Somente o meu trabalho e, além disso, não conhecia ninguém em Lisboa que fosse da área. 

Ordem dos Advogados Portugueses 

Provimento 129/98 OAB

Portanto, meu conselho é: só se inscreva na OAP se você já tiver um escritório bem estabelecido aqui.  Com uma boa clientela ou tiver excelentes condicões financeiras para estabelecer residência no país e abrir o próprio escritório.  Caso contrário, se for imaginando que conseguirá emprego com algum colega de Portugal, sem conhecimento, ESQUEÇA!   Isso funciona como todo o resto. Emprego bom, com formação, ou você sai daqui contratada(o) ou só ficará com o resto - e esse resto não inclui a Advocacia.

Você já viu "imigrante" encontrar bons empregos?  Pode ter a formação que for - se você sair do seu país para se aventurar em outro - sem nenhum subsidio $$$ - a tendência é que vá lavrar pratos, limpar o chão, atender às mesas e, na melhor das hipóteses, cozinhar!

Por Elane F. de Souza (Advogada sec. Ceará, Administradora e Editora deste e de outros Blogs de mesmo gênero). Ao copiar e/ou redistribuir cite a fonte (fotos: por ELANE)





16 de junho de 2017

Problemas com bagagens em Aeroportos? Saiba como resolver!

Você sabia que em muitos Aeroportos brasileiros existem Juizados Especiais e é claro, são gratuitos para causas de até 20 salários mínimos?  

Pois é, ELES EXISTEM, e você sequer precisa de Advogado para acioná-lo.

DIREITOS DO PASSAGEIRO e DEVER DE INFORMAÇÃO

Qualquer demanda relacionada a bagagens ou embalagens extraviadas; bilhetes aéreos; atrasos e cancelamentos de voos; furtos e extravios de objetos; overbooking, é só se dirigir ao posto local e falar com a equipe de funcionários e conciliadores que estarão presentes (plantão) para atendê-los, sob a coordenação de um Juiz.

Bagagem aberta na esteira
O conflito será "solucionado" por meio de conciliação, de forma amigável - entre o Reclamante e um funcionário da Empresa aérea envolvida ou entre aquele e um funcionário da Infraero.

Caso não seja solucionado amigavelmente o processo será encaminhado a comarca do Reclamante (Autor da demanda - o passageiro), para prosseguimento da ação.  Isso facilita, e muito, a "vida" do demandante que não terá que se preocupar em retornar ao local dos fatos para solução do conflito - se acaso o problema se estender muito, sem solução, ele estará presente para contratar um profissional que atuará nas demais defesas.

Mais informações - telefones e localizações dentro dos Aeroportos via CNJ - aqui (final da página do CNJ)

Por Elane F. de Souza, Advogada, Administradora e Editora deste Blog com fontes CNJ 

1 de junho de 2017

Com a crise, como se preparar intelectualmente sem gastar um absurdo?

A dica que sempre dou aos concurseiros e estudantes que procuram atualização é FAZER CURSO ONLINE (por vídeo aulas, apostilas em PDFs e/ou livros digitais) - garanto que funciona e não haver nada mais cômodo e  ECONÔMICO!

Primeiro que o estudante economizaria combustível pois não sairia de casa; evitaria o stress de procurar estacionamento e ainda ter que pagar um absurdo por eles - todo mundo sabe que é assim nas grandes capitais. 

Quando a pessoa se locomove de transportes públicos não é muito diferente. Vai estressar igual; quase nunca estará sentado, pagará por ele pois nada é de graça, e não poderá aproveitar o tempo do trajeto estudando com livros e em pé - a não ser que seja por vídeo aulas e fone de ouvido.

São incontáveis os benefícios de estudar em casa: os cursos são mais acessíveis($$), economiza-se com combustível, com roupa, com perfume, com maquiagem, pode rever as aulas várias vezes e a hora que quiser (alguns cursos permitem até baixar), parar, retornar de onde parou! Faz isso presencial? Nunca!  Saiu para fazer xixi PERDEU!

"Felizmente ou infelizmente" a maioria dos jovens vivem focados na internet; entretanto, quase que só se utilizam das redes sociais. Se utilizassem a rede como "ferramenta" de estudo e conhecimento de mundo, mas NÃO - grande parte dos que fazem uso querem é ver vídeos engraçados, fotos dos amigos e postar a suas para receber likes e comentários; quando isso não acontece ficam frustrados e até se deprimem!

Apesar das fontes de informação estarem aí, disponíveis a todos, muitas vezes de graça; estudar segue sendo uma das grandes rejeições do povo brasileiro.

Incontáveis vezes me deparei, nas redes sociais, com comentários que nada tem a ver com a publicação.  Mal dão uma "passada de olhos" no título do artigo ou reportagem e já partem para os comentários "tipo" (nada a ver) e ainda assim compartilham do que sequer foi lido.

Esses são alguns dos "perigos" que estão expostos, os viciados em redes sociais!  

Compartilham notícias sem terem lido e confirmado a fonte.

Mas, SE NÃO SABEM NEM O QUE DIZ NA ÍNTEGRA, pois não leram, como perderiam tempo pesquisando a fonte? Isso seria esperar muito.....

Nos dias de hoje saber manejar (externamente) celulares ou computador de última geração não dá emprego a ninguém.  
vídeos animados

Qualquer pessoa, sem um mínimo de instrução, sabe compartilhar, curtir, enviar mensagem de voz e vídeo, comprar produtos de uso diário ou luxo pela internet e até baixar alguns programas; agora, se a pessoa souber produzir programas para uso próprio e de terceiros ou aprender a consertar é outra coisa - no entanto, isso custa tempo, um pouco de $$$$ e também é considerado estudo, capacitação profissional - muitos dos que vivem na rede não querem - MAS DEVERIAM!

Português: crie texto rápido com palavras sinônimas
Redação para o ENEM


No entanto, a verdade é uma só: hoje, não se capacita quem não quiser! 

Existem cursos direcionados a quase todas as áreas do conhecimento - procure e encontrará, especialmente na internet. O legal é que quase todos oferecem a possibilidade de parcelamento.


Ao fazer isso, veja comentários acerca dos cursos que encontrou, pesquise a reputação da escola e do professor; às vezes eles disponibilizam a primeira aula gratuita para que o futuro aluno/cliente conheça a didática e veja a transmissão (se tem ou não qualidade e se é compatível com o aparelho do aluno).

PACOTE AUDIOJUS - pague 1 curso, aproveite 5 anos

Alguns profissionais e escolas oferecem até tutoria; páginas secretas do facebook para tirar dúvidas, outros dão bônus como aula gratis, apostilas, pequenos cursos de outros colegas, etc.

Centro do Concurseiro - aqui você aprende a estudar
Para quem é "viciado" em internet e ainda não descobriu as vantagens de estudar em casa online e até offline, dependendo do conteúdo, está perdendo um precioso tempo na "rede" -  diria que "navega sem motor ou sem velas" - vai onde o "vento leva" e nem sempre ele leva para o melhor caminho - pensem nisso!

Concursos Abertos Aqui:

Por outro lado se, ao decidir estudar, ainda é dos que preferem as escolas presenciais "tá pagando de antiquado" pois,  EU, com mais de 40, há tempos que não me capacito presencialmente - tudo que necessito está online ou já baixei offiline para minha comodidade - assim, vejo e ouço tudo quantas vezes quiser.  

- Ahhhh, mas dessa forma como vou me socializar?

Quer se socializar vá a uma festinha, a um show, a um encontro com os amigos, a um bar; visite a família e conhecidos - a escola, que eu saiba, foi criada para quem quer estudar - hoje, ficar em casa, diante de um computador, TAMBÉM! Pornografia, correntes, vídeos virais e piadinhas não leva ninguém a lado nenhum! PENSE NISSO e saia na frente nos concursos públicos e nas entrevistas de emprego!

UMA DICA: Curso Cockos REAPER

É um curso (todo online em vídeo aulas) que aborda desde a criação de um projeto, até configurações de actions, finalização, automação, dicas e truques de mixagem e edição, emfim, tudo o que você precisa para começar a usar profissionalmente. 

Por Elane F. Souza (Editora deste Blog e de outros do mesmo gênero - ao copiar cite a fonte)